Esta ideia por ser expandida, mas agora a vejo como uma experiência sobre como suas escolhas mudam o futuro de pelo menos três pessoas, e o resto da civilização.

Você é um oficial da polícia que pode ver o futuro, e por causa disto foi designado para ser o único oficial em atividade no dia, em um experimento doentio, para decidir o futuro de três pessoas:

  1. O Inocente: um homem que será morto por um assassino estrangeiro;
  2. A Criança: uma criança que será torturada e morta por um desconhecido;
  3. A Mulher: uma mulher que irá pular de uma ponte.

O jogador deve escolher o que fazer, entre três opções possíveis:

  1. Falar com o Culpado, buscando alternativas que não recorram a violência;
  2. Matar o Culpado, para evitar não só o crime, mas a reincidência;
  3. Prender o Culpado, após ele cometer o crime. Afinal, você não pode prender alguém por algo que ele ainda está por fazer.

Claro, cada ação cria um futuro diferente?:

  1. Se você falou com o culpado ao menos duas vezes, ao invés de matá-los ou prendê-los, você está enviando uma mensagem: alguém estará lá para ajudá-lo a ver a razão, para evitar o mal. Claro, se o criminoso for continuar o crime, ele será morto. Talvez não haja mais vítimas pois você decidiu consertar o que está errado. O problema é que até encontrarem outra pessoa capaz de ver o futuro, eles o manterão sob vigilância constante.
  2. Se você matou o culpado ao menos duas vezes, ao invés de conversar com ele ou prendê-lo, a mensagem é outra: pensar em um crime – é importante, afinal você ainda não o fez – é o suficiente para punição. Não haverão mais crimes, mas pessoas são governadas sob punho de ferro. Há paz, mas há medo. E como é o único capaz de identificar os futuros criminosos, você pode guiar esta cidade para “garantir que a paz irá prevalecer.”
  3. Se você escolheu prender o criminoso ao menos duas vezes, ao invés de conversar com ele ou matá-lo, você está mandando outra mensagem: ver o futuro e punir pessoas não podem coexistir, afinal, você não pode punir alguém porque você, e apenas você, viu que ia acontecer. Até que a sociedade em si deseje a mudança, baseado no desejo das pessoas, a lei continuará a mesma, e você será retirado da polícia: ninguém pode garantir que não usará seu poder, e se usá-lo, não deve estar associado com a Lei.

Ainda preciso trabalhar alguns pontos, como garantir que os diferentes futuros passem a mensagem certa, de que não há uma “escolha errada”, que cada escolha reflete uma possibilidade real, com vantagens e desvantagens para as pessoas, e mudar um pouco alguns pedaços dos futuros baseados em crimes específicos, como a jurisdição para crimes de menores, suicídio…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *