Esta ideia pode ser um puco similar à outras descritas, mas possui algumas diferenças que podem realmente causar uma diferença no jogo.

Aqui, você tem um mundo aberto, baseado na idade média, populado por humanos e pequenas criaturas que podem mudar o mundo: alguns as chamam de fadas, pelos seus tamanhos, mas podem destruir plantações assim que quiserem, ou transformar madeira em lã.

Você é um Estudioso, membro de uma “organização” – não é uma organização, é algo mais similar à pessoas que se uniram por terem um ponto em comum, mas não trabalham juntas – que busca a paz, não importando o custo: alguns Estudiosos tentam lutar pelas pessoas, outros buscam um meio termo, e há ainda os que lutam pelas Fadas, e as pessoas devem se virar.

Como as Fadas são agentes da natureza, imagino que o jogo é um mundo aberto onde você nunca é atacado. O que você faz, entretanto, cabe a você decidir: seu trabalho é estudar as Fadas e fazer relatórios, se você faz isso indo pelas cidades fazendo trabalhos, buscando livros ou relatórios de outros Estudiosos, ou ainda falar com as fadas diretamente, é sua escolha.

Por esta razão, acredito que este jogo seja similar à um RPG online: se houverem Fadas o bastante para um jogador não poder estudar todas elas, estarem imersos o bastante para não buscarem guias na internet, e recursos limitados no jogo para a escrita de relatórios, isso gera a oportunidade para a criação de uma boa comunidade, que busca atingir um objetivo em comum, de estudar todas as Fadas. Jogadores podem dar seus relatórios, dicas, discutir locais do jogo, tudo por notas, ou conversando em lugares como cidades: eles podem se unir, conseguir informações, e voltar para o modo de um jogador, capazes de mudar o mundo, como expulsando as Fadas de um castelo e deixar pessoas morarem nele.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *