Este jogo é diversão pura e simples: durante um dia quente na praia, um vendedor de sorvetes decidiu arremessar um picolé para um cliente, mas acidentalmente acertou outro vendedor, causando a Primeira Guerra Gelada dos Vendedores de Sorvete.

O jogo é um hack’n’slash 3D, onde clientes vem sem sua direção e você os vende sorvetes – é o ataque básico do jogo, o sistema de combo deve ser pensado em diferentes tipos de sorvete, com diferentes efeitos, para diferentes pessoas -, preenchendo sua barra de especial para entregar sorvetes em área.

Como a ideia é ridícula, o jogo deve refletir isso: clientes podem ser pessoas, animais ou criaturas do fundo do mar, em uma praia que não suportaria tantas pessoas na vida real – imagino várias pessoas no jogo, e digo várias -, onde você usa seu pequeno carrinho, que pode ser melhorado, para entregar ainda mais sorvetes para quem quiser.

Imagino que este jogo requer um estilo bem específico para a arte, bem cartunesca, estilizada, com uma interface que reflete a ideia de não se levar muito a sério: marcadores de combo tomando muito espaço da tela, pessoas “explodindo de sabor”, várias partículas de areia voando, o Sol brilhante demais, personagens interagindo com a interface… imagino algo bem experimental, diferente, onde não há preocupações com a lógica: o Vendedor Principal está enfiando picolés em pessoas, atirando com seu carrinho os demais vendedores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *