Este é um projeto para um Game Design Challenge, sobre destruição que fosse construtiva. Aqui está o link para o original.

O jogador é um herói esquecido, em um mundo pós-apocalíptico, e também o último homem vivo.

A razão pela qual é um herói esquecido? Ele explode tudo que toca. A razão pela qual o mundo que conhecemos acabou? O herói acidentalmente explodiu uma arma especial que exterminou a humanidade.

A arma não exterminou apenas os humanos, mas alterou os animais. Até cachorrinhos são máquinas de matar, com lasers e armas montadas. Eles são animais cibernéticos, mais fortes, rápidos e mortais que qualquer coisa que já andou pela Terra. E cada animal cibernético quer matar O Explosivo.

O gameplay é sobre o herói, que não mata vidas inocentes, tentando escapar dos animais cibernéticos usando seu parkour e explosões.

É mais fácil mostrar como funciona descrevendo uma situação comum: o jogador está em uma pequena cidade, e ao redor da pequena casa em que está, há diversos animais cibernéticos, procurando comida. Se o jogador quiser – não é como O Explosivo faria isso, mas o jogador pode fazer se quiser -, ele pode apenas andar ao redor explodindo seus inimigos, e tudo está certo.

Mas como o jogador devia agir? Explodir paredes para criar passagens, destruir colunas para criar rampas, até criar buracos no chão, para atravessar os esgotos e escapar.  É claro, O Explosivo é um herói que pode ajustar seus poderes para qualquer situação que enfrentar.

E o combate, se O Explosivo jurou não matar vidas inocentes? Eles são animais cibernéticos, e são mortos apenas se seus centros de comando são destruídos. Mas apenas uma grande explosão pode destruí-los. Então O Explosivo achou uma solução: se ele não pode explodi-los, ele pode pará-los… explodindo outras coisas.

Sim, quando você cria uma passagem através das paredes, você pode empurrar seus inimigos. Criou uma rampa explodindo colunas? Os destroços vão esmagar os animais, te permitindo fugir. O mesmo funciona para buracos, se algo cai no buraco… você não será seguido.

É um jogo curto, mas intenso. Você vai correr muito, ajustando as coisas que você quer na hora. Você vê morcegos cibernéticos voadores lhe procurando? Cachorros cibernéticos correndo ao redor de um lugar seguro? Crie um buraco, continue a correr, e nunca pare. Se há coisas te seguindo, crie armadilhas. Buracos, destroços, ou até o chão em que está. É tudo de acordo com o jogador, não há um “jeito errado”, você está sozinho no mundo, ninguém iria te dizer que isso é errado, afinal. 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *