Em primeiro lugar, eu gostaria que você entenda que alguns dos projetos que escreverei aqui são sobre experiências. Eles podem ser jogos sem várias interações, ou jogos onde os conceitos são difíceis de serem discutidos. Como alguém que acredita que jogos são a melhor maneira de proporcionar experiências, mais que músicas, filmes ou livros, eu acredito que jogos devem falar sobre estes assuntos que são complicados de serem discutidos. E este é o primeiro projeto que falarei sobre uma escolha difícil.

Este jogo é sobre fazer escolhas.

Não escolhas como “devo comer uma torta ou devo comer um cookie?” Essas perguntas não vão mudar a vida de ninguém. As escolhas que quero que o jogador faça são mais difíceis que isso. São sobre o que define, na opinião do jogador, um bom Médico.

Eu quero que o jogador escolha entre a chance de uma vida triste, repleta de medicamentos e doenças, e uma morte fácil, indolor. Qual é a coisa mais humana a se fazer, como um Médico? Eu acredito que jogos nos permitem perguntar essas questões sem nos sentirmos “culpados” sobre isso.

Por exemplo, em um caso você tem este paciente. Ele está muito doente, sua família não tem condições de mantê-lo no hospital, o seguro pode cobrir a primeira parte do tratamento, mas depois disso, seja uma cirurgia ou apenas medicamentos pesados? O seguro pode não ser capaz de cobrir isso.

Ao mesmo tempo, o seguro que a família pode receber, se o paciente está morto, será o suficiente para deixá-los viver em conforto por algum tempo. Ele é um trabalhador aposentado, e não há mais muitas aberturas na indústria para sua área, então mesmo que ele estivesse saudável o bastante para trabalhar, ele não seria capaz de receber o que recebia no passado

Qual a coisa mais correta a se fazer? Como um Médico, é claro que é salvar o paciente. Você faz o que você precisa fazer, e espera pelo melhor. Você fez seu trabalho, ele recebeu o tratamento, e você pode ser capaz de ajudar a família depois disso tudo.

Mas… Essa é a coisa mais humana a se fazer? O paciente pode sofrer por um longo tempo, a família pode não ter condições de ajudá-lo… E se o próprio paciente pediu para você matá-lo? Depois de ele pensar em tudo que ele precisava pensar? Depois de considerar todas as outras possibilidades? Você diria, novamente, que mantê-lo vivo é a coisa mais humana a se fazer? A coisa mais correta a se fazer?

Não estou dizendo que o personagem principal, o Médico, devia andar por aí e matar todos os passageiros, como ele quiser. Mas eu quero que o jogador fale com eles. Que explique que, por um longo tempo, eles vão precisar de medicamentos caros, ou pensem com seriedade sobre oque irão fazer. Eu quero que os jogadores sejam movidos pelas famílias envolvidas, se houver alguma. Se o paciente fez qualquer coisa que faça o jogador pensar que eles não sabem o que estão fazendo – eles podem dizer com a mais absoluta confiança que querem morrer, mas estar tão medicados que não foram capazes de pensar nisso. Ou o oposto, estarem tão sedados que não entendem o quanto irão sofrer depois disso tudo.

Essa é a beleza dos jogos, afinal de contas. Ninguém irá sofrer quando você responder essas questões, pelo que você acha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *